29 de Novembro de 2009 - Domingo I do Advento

Três momentos de uma única vinda

Hoje começa o Advento, e com ele um novo Ano Litúrgico. No Advento, preparamo-nos para a vinda de Jesus, Filhode Deus.

A vinda de Jesus é uma só, mas ao mesmo tempo realiza-se em três momentos ou de três modos sucessivos: Jesus veio numa natureza mortal e na debilidade, vem hoje no poder do Espírito Santo e virá um dia com toda a glória e esplendor.

A sua primeira vinda realizou-se quando o Filho de Deus, o Verbo Divino se fez homem no seio puríssimo de Maria, e nasceu, como uma criança débil e pobre, no presépio de Belém, na noite de Natal, há mais de vinte séculos.

Esta primeira vinda é fascinante: poder ver o Filho de Deus feito menino é algo deslumbrante, e por isso o Natal, que vamos celebrar uma vez mais dentro de dias, enche-nos de enorme alegria e de profunda gratidão.


Pe. W. Hart McNichols, Nossa Senhora do Novo Advento

A segunda vinda é constante, está sempre a acontecer, na história da Igreja e nos nossos corações. Pela acção invisível do Espírito Santo, Jesus está a nascer constantemente nas nossas almas, o seu nascimento em nós é um acontecimento presente, ou melhor, é de ontem, de hoje e de todos os séculos.

A terceira vinda de Jesus Cristo, será com toda a glória e poder: acontecerá no fim dos tempos, como hoje ouvimos o próprio Jesus anunciar no Evangelho, e dará início à eternidade sem fim. Nesse dia, Jesus virá, não para saivar, como na primeira vinda, nem para santificar, como na segunda, mas sim para julgar, para avaliar definitivamente todos os nossos actos e todos os factos da história, e para fazer reinar para sempre a verdade e a vida, a santidade e a graça, o amor e a paz.

Para que serve então o Advento? A Igreja, que vive fascinada pela tríplice vinda de Jesus, alerta-nos, com quatro semanas de antecedência, para que nos preparemos para celebrar o Natal, e ao mesmo tempo estejamos muito atentos às outras vindas do Senhor: à sua vinda presente, constante, incessante, cheia de amor, aos nossos corações; e a sua vinda definitiva, cheia de glória e majestade, nofinal dos tempos.

O Advento é um tempo de preparação e de esperança. Com grande confiança, pedimos: Vinde, Senhor Jesus! O Advento é um tempo para fazermos com especial delicadeza o nosso exame de consciência, e para melhorarmos a nossa pureza interior e assim recebermos o próprio Deus que vem. É o momento para ver quais são as coisas que nos separam de Jesus, e retirarmos da nossa vida tudo o que nos afasta d'Ele.

S. Paulo diz-nos, na 2ª leitura: "O Senhor confirme os vossos corações numa santidade irrepreensível, diante de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de Jesus, com todos os seus santos". É importante ir ao fundo, às raízes dos nossos actos, aos motivos que inspiram as nossas acções, e depois aproximar-nos do sacramento da Penitência ou Reconciliação, confessando-nos com plena sinceridade e confiança, para nos serem perdoados os nossos pecados. Não hesitemos em pedir perdão a Deus por tudo aquilo em que O ofendemos. Assim, quando chegar o dia de Natal, a nossa alma estará disposta para receber Jesus.

É necessário manter-nos em estado de vigília, para lutar contra o inimigo, que está sempre à espreita e faz tudo para nos afastar de Deus e do seu amor. Jesus dizia-nos no Evangelho de hoje: "«Portanto, vigiai e orai em todo o tempo, para que possais livrar-vos de tudo o que vai acontecer, e comparecer diante do Filho do homem»".

É muito importante que cuidemos com grande empenho da nossa oração pessoal, lutando por conseguir todos os dias o tempo suficiente para o diálogo com Deus.

Para estarmos vigilantes, também são muito importantes os pequenos sacrifícios, feitos com alegria: certos pormenores de ordem, de domínio de nós mesmos, e ainda a atenção aos outros, a paciência, a serenidade, a compreensão, a alegria habitual, a moderação nos gastos, nas comidas, nas bebidas, a partilha efectiva com os mais pobres e necessitados.

O Advento é um tempo mariano por excelência. A festa da Imaculada Conceição, no dia 8, acontece em pleno Advento e representa para nós uma fuga da poluição, para respirarmos o ar puro da graça de Deus.

Podemos prepará-la, rezando especialmente bem o Terço a partir de amanhã, dia 30, até ao dia 8: são nove dias - uma novena - em que podemos ajudar a despoluir o mundo e a torná-lo mais habitável, mais humano, mais aberto a Deus.

O mundo em que vivemos gira à volta de si mesmo, num egoísmo pessoal ou num egoísmo de grupo quase ilimitado, e por isso são tantas as injustiças, tantas as divisões entre os homens, mas tudo seria muito diferente se vivêssemos centrados em Deus, centrados em Jesus.

Esforcemo-nos por quebrar esse círculo fechado, que nos tira a alegria e a esperança, e preparemo-nos para acolher o Salvador, que vem encher de luz e sentido a nossa vida, e por nós quer chegar às casas de todos, e sobretudo ao coração de todos.

Com a sincera amizade em Cristo
do Prior de Santa Maria de Belém
Cón. José Manuel dos Santos Ferreira

 

Arquivo