24 de Novembro de 2013 - Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo

Acto de consagração do género humano a Cristo Rei


Com a Encíclica Quas primas, de 11 de Dezembro de 1925, o Papa Pio XI, sete anos após o fim da Grande Guerra e catorze anos antes da Segunda Guerra Mundial, instituiu a Festa de Cristo Rei. Escreveu Pio XI:

"Em virtude de Nossa autoridade apostólica, instituímos a festa de «Nosso Senhor Jesus Cristo Rei», mandando que seja celebrada cada ano, no mundo inteiro, no último domingo de Outubro imediatamente anterior à Solenidade de Todos os Santos. Prescrevemos igualmente que, cada ano, se renove, nesse dia, a consagração do género humano ao Coração de Jesus, que já o Nosso Predecessor de saudosa memória S. Pio X ordenara se fizesse anualmente".

O último Domingo de Outubro, como data da Solenidade, permanece para o Calendário da Forma Extraordinária do Rito Romano. Com as reforma pós-conciliar, a Solenidade passou para o 34º Domingo do Tempo Comum, ou seja, o último Domingo do Ano Litúrgico, portanto, o domingo imediatamente anterior ao I Domingo do Advento.

O Enchiridion Indulgentiarum (Manual das Indulgências) apresenta este citado Acto de Consagração do género humano a Jesus Cristo Rei como oração indulgenciada.

Em comunhão e em obediência a estes dois grandes Papas, rezemo-lo neste Domingo:

Dulcíssimo Jesus, Redentor do género humano,lançai sobre nós, que humildemente estamos prostrados diante do vosso altar [na vossa presença], os vossos olhares.
Nós somos e queremos ser vossos; a fim de podermos viver mais intimamente unidos a Vós, cada um de nós se consagra, espontaneamente, neste dia, ao vosso sacratíssimo Coração. Muitos há que nunca vos conheceram; muitos, desprezando os vossos mandamentos, Vos renegaram.
Benigníssimo Jesus, tende piedade de uns e de outros e trazei-os todos ao vosso sagrado Coração.
Senhor, sede Rei não somente dos fiéis, que nunca de vós se afastaram, mas também dos filhos pródigos, que Vos abandonaram; fazei que estes tornem, quanto antes à casa paterna, para não perecerem de miséria e de fome.
Sede Rei dos que vivem iludidos no erro, ou separados de Vós pela discórdia; trazei-os ao porto da verdade e à unidade da fé, a fim de que, em breve, haja um só rebanho e um só pastor.
Senhor, conservai incólume a vossa Igreja, e dai-lhe uma liberdade segura e sem peias; concedei ordem e paz a todos os povos; fazei que, de um pólo a outro do mundo, ressoe uma só voz: louvado seja o Coração divino, que nos trouxe a salvação; honra e glória a Ele, por todos os séculos.

Amen.

Blog  Ad te levavi
Arquivo