2 de Março de 2014 - VIII Domingo do Tempo Comum

A Eucaristia e os seus efeitos em nós

Para conhecer melhor a doutrina da Igreja sobre a Santíssima Eucaristia, vamos continuar a ler os pontos que lhe dedica o Catecismo de S. Pio X (que foi Papa entre e 4 de Agosto de 1903 e 20 de Agosto de 1914. O Catecismo de São Pio X foi escrito com o objectivo de popularizar o ensino do catecismo na Igreja Católica e tornar os católicos mais informados e conhecedores da sua fé e doutrina.

- Da instituição e dos efeitos do Sacramento da Eucaristia


Quando Instituiu Jesus Cristo o Sacramento da Eucaristia?

Jesus Cristo instituiu o Sacramento da Eucaristia na última ceia que celebrou com os seus discípulos, na noite que precedeu a sua Paixão.

Por que instituiu Jesus Cristo a Santíssima Eucaristia?

Jesus Cristo instituiu a Santíssima Eucaristia, por três razões principais:
1° para ser o sacrifício da nova lei;
2° para ser alimento da nossa alma;
3° para ser um memorial perpétuo da sua Paixão e Morte. e um penhor precioso do seu amor para connosco e da vida eterna.

Por que instituiu Jesus Cristo este Sacramento debaixo das espécies de pão e de vinho?

Jesus Cristo instituiu este Sacramento debaixo das espécies de pão e de vinho, porque a Eucaristia devia ser nosso alimento espiritual, e era por isso conveniente que nos fosse dada em forma de comida e de bebida.

Que efeitos produz em nós a Santíssima Eucaristia?

Os principais efeitos que a Santíssima Eucaristia produz em quem a recebe dignamente são estes:
1° conserva e aumenta a vida da alma, que é a graça, como o alimento material sustenta e aumenta a vida do corpo;
2° perdoa os pecados veniais e preserva dos mortais; produz consolação espiritual.

Não produz em nós a Santíssima Eucaristia outros efeitos?

Sim. A Santíssima Eucaristia produz em nós outros três efeitos, a saber:
1° enfraquece as nossas paixões, e em especial amortece em nós o fogo da concupiscência;
2° aumenta em nós o fervor e ajuda-nos a proceder em conformidade com os desejos de Jesus Cristo;
3° dá-nos um penhor da glória futura e da ressurreição do nosso corpo.

- Das disposições necessárias para bem comungar

Produz o Sacramento da Eucaristia sempre em nós os seus maravilhosos efeitos?

O Sacramento da Eucaristia produz em nós os seus maravilhosos efeitos, quando o recebemos com as devidas disposições.

Quantas coisas são necessárias para fazer uma comunhão bem feita?

Para fazer uma comunhão bem feita, são necessárias três coisas:
1° estar em estado de graça;
2° estar em jejum desde uma hora antes da comunhão:
3° saber o que se vai receber e aproximar-se da sagrada Comunhão com devoção.

Que quer dizer: estar em estado de graça?

Estar em estado de graça quer dizer: ter a consciência limpa de todo o pecado mortal.

Que deve fazer antes de comungar quem sabe que está em pecado mortal?

Quem sabe que está em pecado mortal, deve fazer uma boa confissão antes de comungar; porque para quem está em pecado mortal, não basta o acto de contrição perfeita, sem a confissão, para fazer uma comunhão bem feita.

Por que não basta o acto de contrição perfeita, a quem sabe que está em pecado mortal, para poder comungar?

Porque a Igreja ordenou, em sinal de respeito a este Sacramento. que quem é culpado de pecado mortal, não ouse receber a Comunhão, sem primeiro se confessar.

Quem comungasse em pecado mortal, receberia a Jesus Cristo?

Quem comungasse em pecado mortal, receberia a Jesus Cristo, mas não a sua graça: pelo contrário, cometeria sacrilégio e incorreria na sentença de condenação.

Em que consiste o jejum eucarístico?

O jejum eucarístico consiste em abster-se de qualquer espécie de comida ou bebida, excepto a água natural, que, na actual disciplina eucarística, não quebra o jejum.

Quem não está em jejum, pode comungar alguma vez?

Comungar sem estar em jejum é permitido aos doentes que estão em perigo de morte, e aos que sofrem doença prolongada. A comunhão feita pelos doentes em perigo de morte chama-se Viático, porque os sustenta na viagem que eles fazem desta vida à eternidade.

Que querem dizer as palavras: saber o que se vai receber?

Saber o que se vai receber quer dizer: conhecer o que ensina com respeito a este Sacramento a Doutrina Cristã e acreditá-lo firmemente.

Que quer dizer: comungar com devoção?

Comungar com devoção quer dizer: aproximar-se da sagrada Comunhão com humildade e modéstia, tanto na própria pessoa como no vestir, e fazer a preparação antes e a acção de graças depois da Comunhão.

Em que consiste a preparação antes da Comunhão?

A preparação antes da Comunhão consiste em nos entretermos algum tempo a considerar quem é Aquele que vamos receber e quem somos nós; e em fazer actos de fé, de esperança, de caridade, de contrição, de adoração, de humildade e de desejo de receber a Jesus Cristo.

Em que consiste a acção de graças depois da Comunhão?

A acção de graças depois da Comunhão consiste em nos conservarmos recolhidos a honrar a presença do Senhor dentro de nós mesmos, renovando os actos de fé, de esperança, de caridade, de adoração, de agradecimento, de oferecimento e de súplica, pedindo sobretudo aquelas graças que são mais necessárias para nós e para aqueles por quem somos obrigados a orar.

Que se deve fazer no dia da Comunhão?

No dia da Comunhão deve-se manter, o mais possível, o recolhimento, ocupar-se em obras de piedade, bem como cumprir com grande esmero os deveres de estado.

Depois da sagrada Comunhão, quanto tempo permanece Jesus Cristo em nós?

Depois da sagrada Comunhão, Jesus Cristo permanece em nós com a sua graça enquanto se não peca mortalmente; e com a sua presença real permanece em nós. enquanto se não consomem as espécies sacramentais.

- Da maneira de comungar

Como devemos apresentar-nos no acto de receber a sagrada Comunhão?

No acto de receber a sagrada Comunhão devemos estar de joelhos, com a cabeça medianamente levantada, com os olhos modestos e voltados para a sagrada Hóstia, com a boca suficientemente aberta e com a língua um pouco estendida sobre o lábio inferior.

[Nota: Quem comungar na mão, deverá fazê-lo antes de regressar ao seu lugar, tendo ainda todo o cuidado com os fragmentos que eventualmente se desprendam; cf. Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa. 1975]

- Do preceito da comunhão

Quando há obrigação de comungar?

Há obrigação de comungar todos os anos pela Páscoa. na própria paróquia, e além disso em perigo de morte.O preceito da Comunhão pascal começa a obrigar na idade em que a criança é capaz de recebê-la com as devidas disposições.

Pecam aqueles que têm idade capaz para serem admitidos à Comunhão e não comungam?

Aqueles que, tendo a idade capaz para serem admitidos à Comunhão, não comungam, ou porque não querem, ou porque não estão instruídos por sua culpa, pecam sem dúvida. Pecam outrossim os seus pais, ou quem lhes faz as vezes, se o adiamento da Comunhão se dá por sua culpa, e hão de dar por isso severas contas a Deus.

Blog  Ad te levavi
Arquivo