29 de Junho de 2014 - Sol. dos apóstolos S. Pedro e S.Paulo

Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja

«"Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja" (Mateus 16, 18): são as palavras graves, elevadas e solenes que Jesus, em Cesareia de Filipe, dirige a Simão, filho de João, depois da sua profissão de fé, a qual não foi o resultado da lógica humana do pescador de Betsaida, ou a expressão de uma sua particular perspicácia, ou ainda o efeito de uma sua moção psicológica; mas sim fruto misterioso de uma autêntica revelação do Pai celeste. E Jesus muda o nome de Simão em Pedro, significando com isso a colação de uma especial missão; promete-lhe que há-de edificar sobre ele a própria Igreja, a qual não será vencida pelas forças do mal ou da morte; e confia-lhe as chaves do reino de Deus, nomeando-o assim responsável máximo da sua Igreja, e dá-lhe o poder de interpretar autenticamente a lei divina. Perante estes privilégios, ou para dizer melhor, perante estas tarefas sobre-humanas confiadas a Pedro, Santo Agostinho adverte-nos: "Pedro por natureza era simplesmente um homem; por graça, era um cristão; e por uma graça ainda mais abundante, era um e, ao mesmo tempo, o primeiro dos Apóstolos" (Santo Agostinho, In Joannis Evang. tract., 124,5:PL 35, 1973).


Com atónita e compreensível trepidação, mas também com imensa confiança na poderosa graça de Deus e na ardente oração da Igreja, Nós aceitámos tomar-Nos o Sucessor de Pedro na sede de Roma, assumindo o "jugo" que Cristo quis pôr sobre os Nossos frágeis ombros. E afigura-se-Nos ouvir, como se a Nós fossem dlrigidas, as palavras que Santo Efrém faz dizer por Cristo a Pedro: "Simão, meu apóstolo, eu constituí-te fundamento da Santa Igreja. Eu chamei-te de antemão Pedro porque tu hás-de suster todos os edifícios; tu és o superintendente daqueles que edificarão a Igreja sobre a terra; ...tu és a nascente da fonte, à qual se vai haurir a minha doutrina; tu és o chefe dos meus apóstolos; Eu dei-te as chaves do meu reino" (Santo Efrém, Sermones in hebdomadam sanctam. 4.1: LAMY T. L S. Ephraem Syri hymni et sermons. I. 412).

Desde o primeiro momento após a Nossa eleição e nos dias que imediatamente se seguiram, ficámos profundamente Impressionado e encorajado pelas manifestações de afecto dos Nossos filhos de Roma e também daqueles que, de todas as partes do mundo, Nos têm feito chegaro eco da sua incontivel exultação pelo facto de Deus uma vez mais ter dado à Igreja o seu Chefe visível. E assim, vêm encontrar eco espontaneamente no Nosso espírito as comovidas palavras que o Nosso grande e santo Predecessor, São Leão Magno, dirigia aos fiéis de Roma: "Não cessa de presidir na sua sede o beatissimo Pedro; e está estreitamente conjunto ao eterno Sacerdote numa unidade que jamais virá a faltar... E por isso, todas as demonstrações de afecto, que por dignação fraterna ou piedade filial havels querido dirigir, vão para aquele a cuja sede Nos alegramos não tanto por presidir, quanto por poder servir" (São Leão Magno, Sermo V,4-5:PL 54,155-156).

Sim, a Nossa presidência na caridade é um serviço; e, ao afirmá-lo, Nós pensamos não apenas nos Nossos Irmãos e Filhos católicos, mas em todos aqueles que procuram também ser discípulos de Jesus Cristo, honrar a Deus e trabalhar para o bem da humanidade. (...) A Virgem Santíssima, que guiou com delicada ternura a Nossa vida de criança, de seminarista, de sacerdote e de Bispo continue a iluminar e a dirigir os Nossos passos, para que, feito voz de Pedro, com os olhos e a mente fixos no seu Filho, Jesus, proclamemos no mundo, com jubilosa firmeza, a Nossa profissão de fé: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo (Mt 16, 16)».

Com a amizade em Cristo do
Prior de Santa Maria de Belém
Cón. José Manuel dos Santos Ferreira

Blog  Ad te levavi
Arquivo