1 de Março de 2015 - Domingo II da Quaresma

Um relâmpago no meio da noite

1. A transfiguração de Jesus é como um relâmpago que brilha subitamente no céu e ilumina a noite. Os Apóstolos viram Jesus transfigurado, e as "suas vestes tornaram-se resplandecentes, de tal brancura que nenhum lavadeira sobre a terra as poderia assim branquear".

E viram Jesus acompanhado por Elias e Moisés, que estavam a falar com Ele, e falavam, segundo S. Lucas, "da sua saída [em grego exodos, "êxodo", em latim "excessus"], que ia realizar-se em Jerusalém" (Lucas 9, 31), isto é, da sua morte.


Foi um milagre de Deus. E porque motivo aconteceu? O cerco apertava-se em volta de Jesus, que já tinha anunciado a sua futura morte. Os Apóstolos não o entendiam. S. Pedro protestou, e foi severamente repreendido. Por isso, era preciso prepará-los, fortalecê-los.

O motivo do milagre foi, portanto, através de uma pequena "amostra" da Ressurreição, fazê-los aceitar o escândalo da Paixão. E foi assim que viram "um relâmpago da Ressurreição" (L. Castellani).

S. Pedro então reage com uma sugestão entusiasta mas um pouco ingénua: " «Mestre, como é bom estarmos aqui! Façamos três tendas: uma para Ti, outra para Moisés, outra para Elias» ", No fundo, "não sabia o que dizia, pois estavam atemorizados".

Estavam cheios de medo, mas um medo que reflecte aquele "terramoto" interior decorrente de terem recebido na sua alma um grande abalo, um fortíssimo toque da santidade e sublimidade de Deus.

Da nuvem que os envolveu - "imagem da fé, que é obscura e luminosa ao mesmo tempo" (ibid.) - saiu uma voz que disse: "Este é o meu Filho muito amado: ouvi-O".

Foi a voz de Deus Pai, (mas «amplificada» talvez por um anjo), e que ressoou nos seus ouvidos e no seu coração, para que a sua vida fosse cada vez mais um contínuo ouvir Jesus.

E quem ouve Jesus, obedece-Lhe e segue-O sem medo. E segue-O até à Cruz, porque sem cruz não há Ressurreição.

Mas há Ressurreição. Portanto, não temais a Cruz: esta é a mensagem que Jesus lhes deixa com a sua transfiguração.

Sobre muitas realidades precisaríamos deser iluminados por um «relâmpago» divino, e de entre elas, antes de mais sobre a mais básica de todas: o casamento e a família. Sobre este tema, todos os cristãos - católicos e protestantes - deveriam unir-se! Ainda ontem foi publicada numa importante revista on-line um artigo em que Evangélicos e Católicos defendem o casamento (http://www.firstthings.com/).

Vamos pedir a Deus este milagre: que os seus anjos toquem mesmo ao de leve as almas dos humanos e os façam ver o que absurdamente não querem ver...

Entretanto, vamos nós dispor-nos a ouvir: ouvir Jesus. Na actual liturgia quase não há silêncio. Mas vamos procurar ter mais alguns momentos de silêncio, sobretudo depois da comunhão.

E que também no ritmo agitado dos nossos dias haja mais alguns tempos de silêncio, em que possamos ouvir Jesus e falar com Ele, para O acompanharmos sem medo até à Cruz, porque depois da Cruz vem a Ressurreição.

Com a amizade em Cristo do
Prior de Santa Maria de Belém
Cón. José Manuel dos Santos Ferreira

Blog  Ad te levavi
Arquivo