29 de Novembro de 2015 - Domingo I do Advento

As duas vindas do nosso Salvador

Durante todo o Tempo do Advento a Igreja não perde de vista o duplo aparecimento do Salvador: o seu nascimento em Belém, cujo esplendor sempre actual se deve estender até o fim dos tempos, e seu regresso no Juízo final para "julgar os vivos e os mortos" (Símbolo dos Apóstolos).


A Missa do dia de hoje fala-nos destas duas vindas de Jesus: de misericórdia e de justiça. Tendo presente o Missal Romano, na sua dupla forma, verificamos que alguns passos se referem indiferentemente a ambas as vindas:

Outros textos anunciam o nascimento do Salvador na humildade do presépio, para ensinar a viver como filhos de Deus:

Outros elementos da Missa, finalmente. falam da sua vinda como Rei em todo o esplendor do seu poder e majestade:

O acolhimento que fizermos a Jesus, agora que Ele nos veio salvar, determinará o que Ele nos há-de fazer quando nos vier julgar. Preparemo-nos, portanto, para a festa do Natal por meio de bons desejos e pela emenda de nossa vida, para estarmos preparados para o julgamento final, do qual dependerá, por toda a eternidade, o nosso destino. Tenhamos confiança, pois "nenhum dos que esperam em Cristo será confundido" (como se exprime no Intróito).

Era na Basílica de Santa Maria Maior que todo o povo de Roma se reunia outrora no Primeiro Domingo do Advento, para assistir à Missa solene celebrada pelo Papa. Escolhia-se essa Igreja por ter sido Maria quem nos deu Jesus e por se conservarem aí as relíquias do Presépio no qual a Virgem Maria colocou seu divino Filho (cf. Missal Quotidiano e Vesperal, adaptado).

Que a Santíssima Virgem abra os nossos corações e o de todos os homens à vinda do Filho de Deus ao mundo, para que brilhe em todos a luz da fé, e com ela se fortaleçam a paz, a justiça, a caridade e o amor.

Blog  Ad te levavi
Arquivo