22 de Maio de 2016 - Domingo da Santíssima Trindade

A fé católica consiste em venerar um só Deus na trindade, e a trindade na unidade, sem confundir as pessoas, nem separar a substância;
pois uma é a pessoa do Pai, outra a do Filho, outra a do Espírito Santo;
mas uma é a divindade, igual a glória, coeterna a majestade do Pai, e do Alho, e do Espírito Santo.


Hendrick van Balen,   Santíssima Trindade (1620)

Qual o Pai, tal o Filho, tal o Espírito Santo;
incriado é o Pai, incriado o Filho, incriado o Espírito Santo;
eterno é o Pai, eterno o Filho, eterno o Espírito Santo;
e, no entanto, não há três eternos, mas um só eterno;
como não há três incriados, nem três imensos, mas um só incriado e um só imenso;
assim também o Pai é onipotente, o Filho é onipotente, o Espírito Santo é onipotente;
e, no entanto, não há três onipotentes, mas um só onipotente.

Como o Pai é Deus, assim o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus;
e, no entanto, não há três deuses, mas um só Deus.

Como o Pai é Senhor, assim o Filho é Senhor, e o Espírito Santo é Senhor;

e, no entanto, não há três três Senhores, mas um só Senhor.

Porquanto, assim como a verdade cristã nos manda confessar que cada pessoa, tomada separadamente, é Deus e Senhor; assim também nos proíbe a religião católica dizer que são três deuses ou três senhores.

O Pai não foi feito por ninguém, nem criado, nem gerado.

O Filho é só do Pai; não feito, não criado, mas gerado.

O Espírito Santo é do Pai e do Filho; não feito, não criado, mas procedente.

Há, pois, um só Pai, não três pais;

um só Filho, não três filhos;

um só Espírito Santo, não três espíritos santos.

E nesta trindade nada existe de anterior ou posterior, nada de maior ou menor;

mas todas as três pessoas são coeternas e iguais umas às outras;

de sorte que em tudo, como acima ficou dito, deve ser venerada a unidade na Trindade, e a Trindade na unidade.

Quem quer, portanto, salvar-se, assim deve crer a respeito da Santíssima Trindade".

Princípio do Símbolo «Quicumque», ou de Santo Atanásio (séc.lV).
(O texto grego mais antigo deste credo provém de um sermão de Cesário de AlIes, no início do século VI)

Acreditamos, pois, que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são 'um só Deus, um só Senhor, não na unidade de uma só pessoa, mas na trindade de uma só natureza".

Em união com toda a Igreja, adoramos hoje com especial intensidade interior "as três Pessoas distintas, a sua essência única e a sua igual majestade".

E exclamamos: "A Vós Deus Pai não gerado, a Vós Filho unigénito, a Vós Espírito Santo Paráclito, santa e indivisa Trindade, com todas as forças do nosso coração e da nossa voz, reconhecemos, louvamos, e bendizemos: glória a Vós pelos séculos dos séculos. Amen".

Com a amizade em Cristo do
Prior de Santa Maria de Belém
Cón. José Manuel dos Santos Ferreira

Blog  Ad te levavi
Arquivo