18 de Dezembro de 2016 - Domingo IV do Advento

Jesus nasceu realmente em 25 de Dezembro? (2)

Por Taylor Marshall

No texto anterior, mostrámos que o Natal não poderia ser uma tentativa cristã de substituir um feriado pagão por um feriado cristão recém-formado. Os testemunhos seguintes revelam que os Católicos afirmavam já, antes da conversão de Constantino e do Império Romano, o dia 25 de Dezembro como o Nascimento de Cristo.

O Papa S. Telésforo (que reinou entre 126 e 137) instituiu a tradição da Missa à Meia-noite na Véspera de Natal. Apesar de o Liber Pontificatis não nos dar a data do Natal, este assume que o Natal já era celebrado pelo Papa e que tinha sido acrescentada uma Missa à meia-noite. Eu não duvido da tradição de maneira nenhuma.


Se formos para cerca de 70 anos mais tarde, S. Hipólito escreve de passagem que o nascimento de Cristo ocorreu numa quarta-feira, dia 25 de Dezembro. Santo Hipólito escreveu algures entre 200 e 211! Eis a citação:

"O Primeiro Advento [vinda] de nosso Senhor na carne ocorreu quando Ele nasceu em Belém, era 25 de Dezembro, uma quarta-feira, quando Augusto estava no seu quadragésimo-segundo ano (...). Ele padeceu no trigésimo terceiro ano, no dia 25 de Março, Sexta-Feira, do décimo-oitavo ano de Tibério, enquanto Rufo e Rubelião eram Cônsules. (Santo Hipólito de Roma, Comentário a Daniel).

Reparem também, na citação acima, no significado especial de 25 de Março, que marca a morte de Cristo (25 de Março era visto como o correspondente ao mês hebraico Nisan, sendo o dia 14 a data tradicional da crucifixão).

Acreditava-se que Cristo, como homem perfeito, tinha sido concebido e morto no mesmo dia (25 de Março). No seu Chronicon, Santo Hipólito diz que a terra foi criada no dia 25 de Março, 5.500 a.C. Mesmo relativizando este último cálculo, verifica-se que o dia 25 de Março era identificado pelos Padres da Igreja como:

Na Igreja Síria, o dia 25 de Março ou a festa da Anunciação era vista como uma das festas mais importantes do ano inteiro. Indicava o dia em que Deus assumiu a sua morada no ventre da Virgem Maria. De facto, se a Anunciação e a Sexta-Feira Santa coincidissem no calendário, era a Anunciação a ser celebrada - tão importante era na tradição síria! Isto sem referir que a Igreja Síria preservou algumas das mais antigas tradições cristãs e tinha uma profunda e doce devoção por Maria e a Encarnação de Cristo!

Agora, o dia 25 de Março era sagrado na mais antiga tradição cristã. e a partir desta é fácil descobrir a data do nascimento de Cristo. Ou seja: 25 de Março (Cristo concebido pelo Espírito Santo) mais nove meses, leva-nos a 25 de Dezembro (o nascimento de Cristo em Belém).

Santo Agostinho confirma esta tradição de 25 de Março como a concepção messiânica e 25 de Dezembro como o Seu Nascimento: .Porque se acredita que Cristo foi concebido a 25 de Março, dia em que também padeceu; portanto o ventre da Virgem, onde Ele foi concebido, onde nenhum mortal foi gerado, corresponde ao novo sepulcro onde ele foi sepultado, onde nenhum homem alguma vez esteve nem antes nem desde então. Mas ele nasceu, de acordo com a tradição, a 25 de Dezembro" (Santo Agostinho, De Trinitate, Livro IV, 5)

Por volta do ano 400, Santo Agostinho também notou como os donatistas cismáticos se recusavam a celebrar a Epifania a 6 de Janeiro, visto que viam a Epifania como uma nova festa sem base na Tradição Apostólica. O cisma donatista começou em 311 A.D. o que pode indicar que a Igreja Latina estava a celebrar o Natal a 25 de Dezembro (mas ainda não a Epifania, a 6 de Janeiro) antes de 311.

Entretanto, visto que é quase dia 25, contemplemos José e Maria a chegar a Belém, à procura de abrigo para a noite que aí vinha. Então foi-lhes permitido usarem uma gruta, que era um estábulo, e por volta do meio dia, S. José começa a preparar o lugar para o acontecimento milagroso. José e Maria deviam estar cheios de uma expectativa tranquila. Que eles rezem por nós, enquanto esperamos também ansiosamente o Menino Jesus.

Blog  Ad te levavi
Arquivo