11 de Março de 2018 - Domingo IV da Quaresma

No seu diálogo com Nicodemos, Jesus refere-se a Moisés, que teve um papel muito importante na História Sagrada. Por um lado, Moisés retirou o povo de Deus do cativeiro do Egipto, e fê-lo atravessar o Mar Vermelho; por outro lado, deu-lhe a comer o maná no deserto, deu-lhe a Lei no Sinai, e conduziu-o à Terra Prometida, onde mais tarde se ergueu Jerusalém, a Cidade Santa, onde todos os anos, na Páscoa, se juntavam todos os fiéis.


Matthew Alderman, Cristo na cruz, com a Virgem Maria, Maria Madalena e S. João

O verdadeiro Moisés, porém, é o próprio Jesus Cristo, que nos libertou do cativeiro da lei e do pecado, nos fez passar pelas águas do Baptismo, nos alimenta no deserto da existência terrena com o verdadeiro maná, a sua carne, e nos introduziu na terra prometida, a Santa Igreja, que é também a nova Jerusalém.

E o convite à alegria é para cada um: alegra-te, porque recebeste o Baptismo e te alimentas com a Eucaristia, os sacramentos por excelência da ressurreição. Alegra-te, porque podes receber o perdão dos teus pecados, na Confissão, e começar uma vida nova. Alegra-te pelo dom da fé, que nos conduz à vida eterna!

Alegremo-nos todos, porque, mortos com Cristo para o pecado, também com Ele ressuscitaremos. Alegremo-nos sinceramente, e animemo-nos a prosseguir com generosidade a segunda parte da Quaresma, intensificando a oração e o espírito de penitência, para podermos chegar à Páscoa de coração purificado, e então sermos envoltos e mergulhados na luz de Cristo ressuscitado.

Com a amizade em Cristo do
O Prior de Santa Maria de Belém
Cón. José Manuel dos Santos Ferreira

Blog  Ad te levavi
Arquivo